sábado, 21 de maio de 2011

Palavra: O Deserto e as Circunstâncias - Instrumentos de Tratamento


O deserto sempre fez parte da vida dos homens de Deus.


Todos os grandes nomes mencionados na Bíblia, foram de homens que antes de iniciarem seu ministério, passaram pelo deserto. O deserto é colocado por Deus em nossas vidas para testar o nosso caráter.
 

Ao contrário do que muitos possam pensar o deserto não é somente um tempo de escassez e sequidão. Para homens de Deus o deserto também é um tempo de treinamento, preparação e capacitação para aquilo que o Senhor deseja realizar através de suas vidas. Alguns dos que foram levados por Deus ao deserto morreram ali, outros edificaram suas casas no próprio deserto. Entretanto, o deserto na vida de um homem de Deus é apenas um tempo passageiro, porque o que Deus tem para os seus é a Canaã. 

Canaã é o destino do cristão, você não foi gerado para morrer no deserto, você foi gerado por Deus para conquistar a terra prometida. Aqueles que morrem no deserto é porque não aceitam o desafio do SENHOR de conquistar a terra prometida. Muitos dos que saíram do Egito rumo a Canaã morreram no deserto, mas os VENCEDORES conquistaram a Sua Canaã. Quantos vencedores nós temos aqui? Deus nos leva ao deserto para nos moldar, para tirar de nós aquilo que não O agrada.
O Que é o Deserto?


O deserto é um tempo de amadurecimento e aprofundamento do relacionamento de Deus para conosco, ele vem sobre nós para golpear a carne e quebrantar o Ego.


Deus não tem compromisso de ser agradável para conosco. Ele tem uma firme decisão em fazer o que é melhor.


Deus nos leva ao deserto não para ser agradável para conosco. Como um pai que treina e disciplina o seu filho a intenção de Deus é nos preparar para a conquista. Muitas vezes no papel de crianças mimadas não gostamos da maneira como o Senhor nos trata no deserto. Todavia, se nos comportarmos como aquela criança que confia no pai e sabe que Ele quer o melhor para ela seremos fortalecidos no SENHOR.


Deu não tem compromisso em ser agradável conosco. Como existem pessoas que não conhecem o desejo do Senhor! Nós temos uma Obra a realizar. Deus Pai está empenhado nessa obra, Deus Filho também está empenhado nesta obra e tem crente que fica pensando que Deus existe para agradar o seu coração egoísta! Quanta ignorância sobre a Vontade de Deus.



O Deserto testa o nosso coração.


(Dt. 8:2) “Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos.”
 

Deus tem um propósito para comigo e para com você. Ele tem uma missão para o seu povo. Só que Ele não irá confiar essa missão a alguém que não seja aprovado em seu coração. Ele nos conduz pelo nosso deserto para nos humilhar, provar, mas principalmente para saber qual é a disposição do nosso coração. Ele quer saber se realmente vamos guardar as suas ordens, os seus mandamentos.

O Que Acontece no Deserto?


1º. O deserto é um ambiente de Pressão.


Deus deseja saber quem realmente somos e a melhor maneira dele saber isso é nos testando no deserto. É sob a pressão do deserto, das dificuldades que nos mostramos como realmente somos. Crentes que não suportam PRESSÕES não vão muito longe. A Pressão faz parte da vida do crente. Entretanto, não faça análise de si mesmo, somente responda aos testes do SENHOR.


Essa Pressão vem sobre nós para revelar quem realmente somos. Entretanto, devemos tomar  cuidado com:


Auto Análise e a Introspecção

Isso pode gerar orgulho ou sentimentos de inferioridade. Isso é carnal e nocivo.


Sob a Pressão e calor do deserto caem as máscaras da:


- Espiritualidade;

- Paciência;

- Brandura;

- Pureza;

- Profundidade no conhecimento de Deus.

No calor do deserto as pessoas que estiverem ao nosso redor saberão quem realmente somos. As máscaras irão cair com certeza. Na pressão do deserto mostramos a quem está ao nosso lado se somos firmes no Senhor ou se sucumbiremos nas dificuldades e desafios que nos são propostos.  Doze espias foram enviados para espiar a terra prometida (Nm 13:25-33). 10 deles voltaram com relatório negativo para Moisés e todo o povo. Para eles, aos seus próprios olhos eram como que gafanhotos diante dos gigantes de Jericó. Mas, para Josué e Calebe a conquista era certa. Sob essa Pressão ficou claro quem era cada um desse homens. Na hora da Pressão aquilo que somos vem à tona.


O deserto nos capacita a suportar pressões.


O deserto visa transformar pessoas fracas e vacilantes em pessoas fortes e corajosas.


No deserto onde o SENHOR nos coloca sob pressão, tem como objetivo transformar pessoas indecisas e inseguras em Vencedores. A PRESSÃO do deserto nos prepara para os desafios que ainda estão por vir.


O deserto nos torna destemidos e calejados para as pressões.


De tempos em tempos, nossa capacidade de suportar pressões vai aumentando.


Quanto mais pressões nós suportamos, mais fortes e preparados ficamos para suportar ainda pressões maiores. Josué suportou grandes pressões no deserto, e quando chegou diante do Rio Jordão e teve que atravessá-lo ele não teve medo da pressão do povo, mas ele se levantou e colocou a arca na frente e assim o rio Jordão parou e eles atravessaram. Deus só vai nos levar a desafios maiores quando vencermos estes que estamos passando no momento.

2º. O deserto é lugar de Solidão.


Temos a tendência de buscar auxilio de homens, mas Deus quer que dependamos Dele.


O deserto também vem sobre nossas vidas para nos decepcionarmos com toda expectativa e esperança no homem.  


Em meio às dificuldades temos a tendência de buscarmos ajuda das pessoas ao invés de buscarmos ao Senhor. Quando colocamos nossas expectativas no homem a decepção é certa. Entretanto, quanto colocamos em Deus a Vitória é certa.


Na Solidão do deserto não podemos contar com as pessoas, porque elas tornam-se:


Distantes;

Frias;

Impessoais.


Na solidão do deserto não se assuste é Deus tentando ser o nosso amigo mais íntimo.  


As pessoas sempre irão nos decepcionar quando colocarmos expectativas nelas. Coloque as seus expectativas em Deus, Ele jamais nos decepciona. Na Solidão do deserto Deus se aproxima de nós para ser o nosso melhor companheiro e amigo. Na verdade o nosso maior erro é quando procuramos em primeiro lugar o auxilio do homem, não que não possamos fazer isso, com certeza devemos sim prestar contas de nossa vida para nossas autoridades, mas quando vier o problema, corra primeiro ao Senhor e depois procure seus lideres.

3º. O deserto é lugar de Esgotamento da alma.


No deserto não há água, nem vida, nem descanso: só calor e exaustão.


Deus quer que percamos nosso entusiasmo e nossas forças naturais. Deus deseja acabar com a energia de nossa alma.  


Enquanto houver força na alma, Ele não poderá agir através do Espírito. No deserto Ele deseja esgotar a nossa alma para que possamos depender do Seu Espírito. Enquanto estivermos na dependência da alma, jamais dependeremos de Deus.


(Sl. 32:4) “De dia e de noite, tu me castigaste, ó Deus, e as minhas forças se acabaram como o sereno que seca no calor do verão.”


Ex. 17:1-6 (Água da Rocha)

Ex. 16:1-4 (Maná)


Deus não conseguirá agir em nossa vida, sem que antes esvazie a nossa alma.


Andar na carne não é só quando cometemos pecados grosseiros, manifestando os frutos da carne mencionados em Gálatas 5. Andar na carne é não depender de Deus é depender da vida natural, do ego.


O deserto vem sobre nossas vidas para destruir toda autoconfiança. Tudo o que fazemos distante de Deus, não dependendo DELE é carne.


4º. No deserto Deus se mostra como Luz.


Uma forte e vigorosa luz, que penetra o mais profundo do nosso ser. Na luz conhecemos a Deus na Sua glória, e conhecemos também a nossa miséria.


(Ef. 5:13) “Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz.”
 

Onde há luz as trevas se dissipam. Quando a luz do Senhor invade o nosso ser tudo aquilo que é trevas em nós se torna visível e então conhecemos a nossa miséria.


Conhecemos a face de Deus ao mesmo tempo em que nos conhecemos. Quanto mais conheço a Deus mais me conheço.


 (I Tm 5:13) “Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.”
 

Conhecer a nós mesmo fala de olharmos para dentro de nós e nos enxergarmos debaixo da luz do Senhor. Não se surpreenda se debaixo da luz do Senhor você observar que você não é assim tão maravilhoso como pensava que era!


Moisés e Paulo eram tão capazes, culto, arrogantes, independente e autoconfiantes. Mas, depois do deserto, o primeiro disse: “Não sei falar.” e o segundo  disse: “sou o principal pecador.”


Se homens no “nipe’” de Moisés e Paulo reconheceram após o deserto a sua miséria, quem somos nós para ficar pensando que somos alguma coisa?

5º. Nossa flexibilidade determina a duração e a intensidade do deserto.


Deus espera sempre uma atitude responsiva no deserto. Não endureça o coração quando Deus estiver tratando no deserto.
 

Nossa atitude diante de Deus deve ser sempre de humildade. Quando Deus estiver tratando alguma área deficiente de nossas vidas, devemos aceitar o tratamento em humildade reconhecendo a necessidade de sermos realmente tratados. Devemos ser sensíveis e perceber as áreas em que Deus está falando em nossas vidas.


Respostas negativas que damos no deserto.


Se nossa reputação é atacada, defendemos;

Se somos criticados, criticamos;

Se somos agredidos, agredimos;

Se sofremos prejuízos, tratamos logo de passá-los para outro;

Se somos injustiçados, nos vingamos.


Nossas respostas irão determinar o nosso futuro com Deus. Não percebemos que agindo assim, estamos nos distanciando do padrão de caráter de Cristo e resistindo ao tratamento de Deus. Não percebemos que muitas vezes o que mais nos incomoda é justamente a mão de Deus tratando conosco. Aquele chefe no trabalho, aquele líder na igreja, é justamente quem está mais sendo usado por Deus para nos aperfeiçoar. Seja Maleável! Mude! Seja responsivo! 


Quanto mais resistimos em nossa obstinação e dureza, mais tempo ficaremos no deserto. Não seja obstinado! Não morra no deserto! Deus esperava uma resposta totalmente diferente do povo quando os 12 espias voltaram, pois eles endureceram o coração, e foram incrédulos, pois Deus tinha dito que eles conquistariam Canaã, mas eles preferiram endurecer o coração e com isso aconteceu o que está em Êxodo 14:34 “Segundo o número dos dias em que espiastes a terra, quarenta dias, cada dia representando um ano, levareis sobre vós as vossas iniqüidades quarenta anos e tereis experiência do meu desagrado.”  Por causa da dureza do coração ficaram 40 anos no deserto, e muitas vezes pela dureza do nosso coração por querermos fazer a nossa vontade ficamos MUITOS anos rodando no mesmo problema.


Morrer no deserto significa viver a vida inteira resistindo a Deus e sendo resistido por Ele. 

 O deserto não é lugar para o servo de Deus morrer, é um lugar somente onde ele deve estar de passagem. Quem fica resistindo a Deus e sendo resistido por Ele, não usufrui da Sua graça, de Sua bênção, do Seu descanso e da Sua vida.


Deus não tem prazer no deserto. Ele tem prazer em que demos a resposta certa.


Na escola de Deus, ninguém queima etapas. Se formos reprovados, algum tempo depois seremos submetidos ao mesmo teste. 


Existem pessoas que pensam que Deus é um carrasco que sente prazer em castigar seus súditos. Isso não é verdade! Deus apenas deseja que demos a resposta correta. Todas as vezes que damos a resposta errada diante de Deus isso chama-se pecado. E o pecado nos afasta de Deus. Ele não quer isso.

Sempre que dermos a resposta errada, isso significa que fomos reprovados na prova e teremos que fazer a prova de Deus novamente. Não tente seguir em frente se você foi reprovado na prova do Senhor. Faça-a de novo.


As Circunstâncias de Tratamento


Deus sempre nos confronta com  circunstâncias, com o objetivo de nos aperfeiçoar. 


 As circunstâncias pelas quais passamos, vem sobre nossas vidas para nos tratar em alguma área. 

Se a circunstância for levada para o natural, sempre haverá prejuízo, frustração e vexame. 


Se não formos submetidos a nenhum tratamento através das circunstâncias da vida, a conclusão óbvia é que não cresceremos. Continuaremos da mesma forma que sempre fomos. Ou seja, aquilo que éramos a 5 anos atrás, continuaremos a ser durante toda a vida. A experiências que passamos no deserto através das circunstâncias, visam nos treinar e aperfeiçoar para a conquista que vem pela frente.

1Corintios 10:1-13 “Porque não quero, irmãos, que vocês ignorem o fato de que todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem e todos passaram pelo mar.2Em Moisés, todos eles foram batizados na nuvem e no mar.3Todos comeram do mesmo alimento espiritual 4e beberam da mesma bebida espiritual; pois bebiam da rocha espiritual que os acompanhava, e essa rocha era Cristo.5Contudo, Deus não se agradou da maioria deles; por isso os seus corpos ficaram espalhados no deserto.6Essas coisas ocorreram como exemplos para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles fizeram.7Não sejam idólatras, como alguns deles foram, conforme está escrito: "O povo se assentou para comer e beber, e levantou-se para se entregar à farra".8Não pratiquemos imoralidade, como alguns deles fizeram — e num só dia morreram vinte e três mil.9Não devemos pôr o Senhor à prova, como alguns deles fizeram — e foram mortos por serpentes.10E não se queixem, como alguns deles se queixaram — e foram mortos pelo anjo destruidor.11Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos.12Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!13Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar.”




Nenhum comentário:

Postar um comentário